CROSSLINKING DE CÓRNEA

Aba 1

     

CROSSLINKING DE CÓRNEA

É uma técnica que visa a não progressão do quadro, evitando que o ceratocone avance ou piore. O crosslinking é um novo tratamento cirúrgico que permite aumentar a resistência da córnea, deixando-a mais estável.

Por meio dessa técnica, é possível retardar ou até parar os danos causados pelo problema, evitando, assim, a perda da acuidade visual e até a necessidade de um futuro transplante de córnea.

Estima-se que 21% dos pacientes de ceratocone acabam precisando do transplante. A nova técnica poderá baixar esse número.

Ele fortalece a estrutura corneana por meio da indução de ligações entre as moléculas que a compõem. As fibras de colágeno darão mais sustentação e ficarão mais unidas.

Embora a técnica de crosslinking possa ser considerada recente, ela surgiu na Europa há algum tempo — quase 20 anos atrás.

A técnica consiste na aplicação de um colírio especial à base de riboflavina (vitamina B2) que, posteriormente, é ativado por um feixe de luz ultravioleta. Isso estimula a contração e união das fibras de colágeno, o que aumenta a resistência da córnea e reforça sua estrutura. Esse procedimento minimiza consideravelmente as chances de progressão do ceratocone e pode retardar sua evolução — até mesmo estagná-lo.

As pesquisas realizadas até agora apontam que o crosslinking pode estabilizar o ceratocone em até 90% dos casos. No entanto, os melhores resultados foram obtidos em pacientes mais jovens.

Os pacientes com maior indicação — e também os que terão maiores benefícios — são adolescentes com diagnóstico recente de ceratocone que está progredindo rapidamente.